Madrid, 1 de setembro de 2022.- Coincidindo com a Inauguração do Fim de Semana da Galeria de Madrid, a Galeria de Arte LUISA PITA, em Santiago de Compostela, inaugura no dia 8 de setembro a exposição ´Fibras que falam por si´, do artista sul-africano Pierre Louis Geldenhuys, na Galeria Nueva Las Letras (Madri).

A exposição, com curadoria de Pedro Vaquerizo e Luisa Pita, é composta por catorze obras recém-criadas. Las telas de seda, la fibra de vidrio y la luz led son los materiales básicos que conforman el mundo creativo de Pierre Louis Geldenhuys, transmitiendo a través de estos no sólo un efecto estético, sino también una serie de lecturas e interpretaciones sobre la tradición y a tecnologia. 

Cada trabalho, peças únicas de tecido, são o resultado de um projeto de engenharia geométrica em que a seda é manipulada a partir de dobras e em que a proporção, ordem, regularidade e beleza tornam-se ainda mais surpreendentes ao incorporar a luz led, alcançando tridimensionalidade formas e encapsulando cada obra em uma caixa de metacrilato.

Da antiga arte da tesselação à arte contemporânea mais inovadora

Artista multifacetado e curioso, iniciou-se no mundo da arte com colagens costuradas, técnica híbrida baseada na arte tradicional e na arte têxtil contemporânea para, aos poucos, voltar sua atenção para a investigação da antiga técnica de tesselação com fibras naturais, especialmente a seda selvagem. 

Ao desenvolver essa técnica, ele incorpora outro material, a fibra de vidro, que desempenha um papel fundamental para dar um caráter conceitual à obra. Centenas de metros de fio são pendurados, balançados e suspensos em toda a superfície.

A partir da ideia de "obra viva e em movimento", são desenvolvidas para esta exposição 7 peças intituladas 'Preservat' que destacam as sinergias entre o processo criativo do artista e a conservação da natureza, homenageando a grande variedade e riqueza de ecossistemas e reivindicando a necessidade de preservar os recursos naturais dos agentes invasores, transmitindo à sociedade a mensagem de conservação e cuidado com o nosso planeta.

As novas tecnologias e a fibra digital desempenham um papel importante na obra do artista, criando, por meio de videomapeamento, múltiplas interpretações geométricas que o artista transmite ao espectador projetando-as e sobrepondo-as a algumas de suas obras mais complexas, de tal forma que o movimento e ritmo de cada projeção tornam-se parte da natureza e essência imaterial da obra.

´Fibras que falam por si´ representa o trabalho mais árduo e comprometido da Geldenhuys. Até 2 de outubro, sua criatividade percorrerá o espaço da Nova Galeria, transferindo a arte milenar da tesselação para a arte contemporânea mais inovadora. 

Artigos de destaque

Argentina, 1985 “Argentina 1985” conta a história do julgamento das juntas militares que...

A cobertura e crítica das artes do jantar. Júlio César A Cia. dos Atores apresenta Júlio...

A HORA DOS HERÓIS O cinema espanhol também goza de prestígio quando enfrenta, através...